PACS no Brasil: Substituindo seu PACS pela nuvem

Posted by Fauze Polpeta on Mar 21, 2017 3:23:56 PM

pacs-in-brazil.jpg

No Brasil, como em outros países, práticas para o compartilhamento de imagens médicas variam bastante dependendo do professional da área médica ou organização em que este atua. Muitos fazem uso dos filmes radiológicos (chapas) e CDs para entrega de resultados aos pacientes e/ou outros médicos.

Entretanto, estas estratégias são pouco eficientes e muito menos seguras, oferecendo riscos sérios a qualquer prática médica. A longo prazo, o armazenamento de imagens na nuvem torna-se a forma mais econômica garantir a acessibilidade e o compartilhamento de imagens.

PACS no Brasil

A Pixeon, uma das empresas líderes em soluções PACS no Brasil, foi fundada em 2002, oferecendo soluções RIS (radiology information systems). Mais tarde, a Pixeon fundiu-se a outra empresa, a Medical Systems, líder no segmento HIS (hospital information systems), dando origem a Pixeon Medical Systems.

No geral, um sistema HIS requer o armazenamento de uma quantidade inferior de dados se comparado a um RIS – um único exame de imagens pode conter gigabytes de informação – fato que torna o armazenamento de dados HIS mais lucrativo. Não surpreendemente, provedores de soluções integradas RIS+HIS podem exercer práticas comerciais que não se adequam a organizações cujas principais necessidades são unicamente o armazenamento, o acesso, e a distribuição das imagens através da nuvem.

PACS no Brasil: Junte-se a nós neste Webinar para entender como avaliar seu PACS em função de 5 critérios essenciais.

Como em outras partes do mundo, clínicas e consultórios médicos no Brasil contam mais e mais com equipamentos de imagens para exames que permitem ao médico e paciente obeterem um parecer rápido que, se não conclusivo, pode direcioná-los para um análise mais profunda acerca de uma condição ou suspeita. Todavia, não diferentemente das imagens geradas por equipamentos em centros especializados de imagem, os exames realizados em clínicas e consultórios demandam a mesma atenção quanto ao seu armazenamento, acesso, e distribuição – algo que pode ser inviável quando recorre-se a soluções que foram projetadas para atender exclusivamente as necessidades específicas de centros de imagem; nestes casos, complexidade e custos elevados tornam-se barreiras predominantes.

É neste contexto que o uso da nuvem (cloud) para armazenamento de seus arquivos médicos – as imagens de seus pacientes – aparece como uma solução que é dimensionada de acordo as necessidades de seu negócio, seja este um centro de imagem, hospital, clínica, ou consultório.

E quais problemas a nuvem resolve na prática?

Para qualquer organização – centro de imagem, hospital, clínica, ou consultório – usar a nuvem para o armazenamento de imagens elimina uma série de riscos atrelados a sistemas de armazenamento tradicionais – em geral equipamento instalados localmente em sua organização, como computadores e/ou servidores de alto custo, e também desconectados do “mundo” (offline), fato que dificulta a prática eficiente da teleradiologia e a entrega de resultados.

Dentre estes riscos, na verdade problemas que em algum momento você enfrentará, destacam-se:

Mídias físicas, tais como CDs, podem ser facilmente danificadas. Quando isto acontece, é responsabilidade da clínica gravar outra midia para o paciente.

O uso de mídias rígidas – para backup ou para entrega de resultados – implica de forma geral no envolvimento de processos manuais e portanto realizados por seres humanos. Falhas humanas podem ser minimizadas, quando não eliminadas, com o armazenamento na nuvem. A entrega de exames acontece considerando informações de pacientes previamente cadastradas, e o acesso a estes exames respeita mecanismos seguros de autenticação. Dificilmente, o resultado de um exame será entregue para um pessoa que não deveria ter acesso a esta informação.

O risco de desastres naturais – incêndios, tempestades, enchentes – é também uma realidade, bem como ataques de hackers – destruição, roubo, ou sequestro de dados. Ambos podem comprometer seriamente sua organização e seus pacientes. O armazenamento na nuvem faz com que sua organização esteja muito mais preparada para enfrentar problemas desta natureza. Redundância, robustez, e disponibilidade são fatores previamente dimensionados quando o armazenamento na nuvem é contratado.

Todavia, ainda que você opte por um sistema de armazenamento local em sua organização, a necessidade de mitigar todos estes risco fará com que você certamente mantenha uma equipe de TI a seu dispor. Um dia – vislumbrando aqui sua realidade, e sobretudo seus gastos com esta equipe – poderão vir a tona algumas perguntas: qual o real o propósito do seu negócio? Ser uma empresa de TI ou a organização da área médica que você planejou? Uma equipe terceirizada de TI pode ser uma solução, mas quão fácil – sem mencionar custos – é encontrar uma equipe de TI especializada no armazenamento de arquivos médicos? E como evitar o tradicional “jogo de empurra” quando os problemas a serem resolvidos parecem não ser de ninguém, quando de fato são de ambos?

Os riscos não valem a pena

Por todas estas razões, continuar utilizando sistemas tradicionais de armazenamento e distribuição de arquivos médicos pode ser uma jornada de altíssimo risco. E isto para dizer o mínimo. Migrar para um sistema de armazenamento PACS na nuvem minimiza riscos e diminui custos, preservando sua organização da perda de dados e garantindo que as informações de seus pacientes sejam acessadas exclusivamente pelas partes que têmdireito a fazê-lo.


 Using the Cloud in Brazil: 5 Maneiras de Avaliar seu PACS

Junte-se a nós neste Webinar para entender como avaliar seu PACS em função de 5 critérios essenciais.

Registre-se Aqui

Topics: cloud pacs, brazil

Subscribe to the Purview Blog

Recent Posts

Posts by Topic

see all